sábado, 7 de novembro de 2009

Poemas da vida


Da vida tenho tudo quanto é possível: aventura, viagens, trabalho, amor, fantasia, família, amigos, memórias boas e más, doenças e curas; vou deixar neste espaço parte dos poemas escritos nas mais variadas situações emocionais que um ser humano pode ter. Tempos de viajar, tempos de amar, tempos de guerra e sofrimento, tempo de paz e convívio salutar com os amigos, tempo de desporto e aventura, tempo de reflexão e tempo para descansar.
NO MEU ESPAÇO

No tempo não sei de mim
No espaço já não estou…
Na vida fui lançado, enfim,
No mundo não sei quem sou!

É o mundo que me chama
Nas horas que não esqueço;
Na convulsão tudo é lama
A turvar o que não pareço.

Na passagem mal convertida
Da incessante contradição,
Luto numa ânsia desmedida
Para atingir a perfeição.

Ao nascer a nova esperança
Não sei se é a desventura…
Como acredito na bonança
Sinto a vida menos dura.

Enquanto o mundo se agita
Num inconstante torvelinho,
Creio na vida que palpita
Traçando o melhor caminho.

No tempo e no espaço eu sou!
Aquele que vive uma vida…
Porque sei para onde vou
Não abandono esta corrida.

Sem comentários:

Enviar um comentário