segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Poemas dos Tempos PT 33

.
.

...... SOBREVIVENTES

Tenho medo de cada amanhecer
só porque há tantas vidas apagadas
tantos meninos a sofrer
com as mães desempregadas.

Tanta criança sem brincar
mexendo no lixo para comer
tantos corações sem amar
na ânsia de sobreviver.

Tantos lares frios, infelizes,
com gente pálida, triste,
à espera do decreto dos juízes
pela igualdade que não existe.

Sempre que o dia amanhece
vejo as sombras da miséria
que o meu povo não esquece
tanta falta da política séria.

Tantas orações sem esperança
por causas que são patranhas…
vejo um anjo em cada criança
quando a fé sai das entranhas!

Joaquim Coelho
»»»»»»»»»»»»»»»»»»
.
.. AVISO Á NAVEGAÇÃO

Aos saudosistas faço o aviso sincero:
quando sabotais o rumo da história
agrava-se o clima austero
neste mundo que se transforma,
porque o tempo de “triste memória”
há muito que perdeu a forma.

Se não vos chegou a ganância
no tempo dos espoliados,
abandonai os ares de arrogância
se quereis sobrevir à mudança
sem que os povos escravizados
vos venham encher a pança.

Quanto mais usais de injustiça
mais funda cavais a própria cova
porque a liderança desta liça
pertence aos povos libertados
que constroem a sociedade nova
sem a miséria dos explorados.

Se a história fundamenta a razão
temos connosco a liberdade,
abandonai o nosso bastião
antes que esbarreis contra o muro
da sociedade da fraternidade
onde já não tendes mais futuro.

Odivelas, Dezembro de 1976
Joaquim Coelho


.. NOVA PROFECIA

Porque temos a nova profecia
deste país atolado na corrupção
onde se atropela a democracia
e os nobres valores da Nação.
Vamos derrotar as armas da mordaça
e combater os políticos da gamela
até por fim ao governo de chalaça
que nos atrofia nesta viela
onde a pobreza é um fatalismo
e a miséria fruto do servilismo.

Parece um caos civilizado
onde só o povo é martirizado…
mas o tempo da mudança
vai acabar com as barreiras
e restaurar a universal confiança
neste mundo sem fronteiras.

Vamos ter o conforto merecido
onde cada um tenha o lugar
neste país belo e querido
sem necessidade de mendigar;
toda a miséria vai ser enlatada
numa sociedade transformada.

Maia, Setembro de 1986
Joaquim Coelho
.

Sem comentários:

Enviar um comentário